Naveguem por este mundo sem validade!

quinta-feira, 12 de maio de 2016

Não abuses da sorte mamã iogurte!

Antes de escrever o que paira hoje nesta na minha caixa pensante, aqui fica uma ressalva: perdoem-me os extremistas, os meio-termo, os pacificadores, os tradicionalistas, os puristas...os "istas" todos. Pode ser?
Assumindo que a coisa já está perdoada, cá vai então.
Então, não é que eu fui chamada a atenção por estar a cantar o "Atirei o pau ao gato" à minha filha C. de 19 meses, na versão que me foi ensinada nos anos 80? Segundo a especialista na matéria, "atirei o pau ao gato" pode incitar maus tratos em animais. 
Ora, serei eu um caso raro na história relativa aos ensinamentos desta canção?
Sou aficionada em animais, defendo-os como se não houvesse amanhã, longe de mim maltratar o quer que seja. Assisti a inúmeros partos de gatas em miúda, conheço todos os procedimentos, chegava passar horas intermináveis a tentar "domesticar" os gatinhos bebés das minhas gatas que tinham pouco contacto humano...(pausa para refletir um bocadinho).
A propósito deste tema, descobri na internet a seguinte sugestão:

O que vos parece?
Sou capaz de me ter esticado um bocado (mas lembram-se do primeiro parágrafo do meu post?).
Amigos à mesma, hein?!

10 comentários:

  1. Eu não tenho crianças mas o "atirei o pau ao gato" foi a primeira canção em português que ensinei ao meu namorado. Ele adora gatos e não achou mal nenhum. É SÓ uma canção.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso. É só uma canção. ;)

      Eliminar
  2. Está tudo doido...tenho uma gata, peixes, já tive uma cadela e pássaros...e não sou purista nem extremista, e acho que andamos a cair em exageros!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que interessa é cantar, certo? ;)

      Eliminar
  3. Espero que nos mantenhamos é defensores da Liberdade!
    O resto são tretas.

    Os "ismos" são uma armadilha. Se começar-mos por aí faço uma boa ideia onde vamos parar. Fiquemos pelos "ades": Liberdade, idade, naturalidade, diversidade :)

    A maior prova de que as letras de certas músicas infantis não fazem mal a ninguém somos nós mesmos. Nunca atirei um pau a um gato, a um cachorro ao que fosse. Aliás, não esborracho moscas, não piso em formigas. E ainda canto essa música infantil, é a que me lembro melhor.

    ResponderEliminar
  4. qualquer dia também nã se pode cantar que o areias é um camelo porque estamos a comparar o pobre do areias aos deputados do parlamento, ou aquela das galinhas doidas, porque nã se deve dizer doidas, mas sim, desequilibradas mentais...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gosto do desequilibradas mentais, mas acho que não rima Manel! ;)

      Eliminar
  5. já que estamos neste tópico, aproveito para pedir esclarecimentos acerca daquela música da Marianita... que tem os olhos cor do limão... e do carvão... nã entendo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São olhos mutantes ou então a Marianita usa lentes de contacto! É um bocadinho doida, ainda bem que me lembraste desta, para não a cantar à C., não vá ela daqui a uns anos querer usar lentes de contacto de cor!

      Eliminar